Agenda

O sol chegou e a música e as histórias deste nosso O Som do Algodão unem-se para fazer o Verão acontecer em todo os lugares possíveis (e impossíveis). Venham daí connosco!
Mantenham-se a par das nossas datas!

Máquina de Embrulhar poemas

E se uma máquina embrulhasse poemas, versos, cantigas e lengalengas? E se das máquinas brotassem poesia, gritos, canções? Nesta sessão, cada poema é uma paragem, é uma história e uma viagem, um enredo onde se embrulham poemas e coisas que rebentam da terra, que saltam das nuvens e dos locais mais inesperados. Afinal a poesia é isso mesmo, a beleza desenfreada do inesperado. Esta sessão baseia-se nos poetas portugueses e reúne autores como Sophia de Mello Breyner Andersen, Matilde Rosa Araújo, Guerra Junqueiro, Eugénio de Andrade ou Manuel António Pina.

 

 

Ficha artística

Criação e interpretação: Dulce Moreira e Mariana Santos – O Som do Algodão
Figurinos: O Som do Algodão
Produção: Marulhada, Associação Cultural

Público M/3
Duração 
40′

Horário  10h30

Entrada livre.

Pela Ponta do Nariz

O Som do Algodão celebra os 50 anos de histórias de Luísa Ducla Soares e veste os bichos como se fossem gente, transforma os dedos da mão em estrelas de cinco pontas. E a Lua? O sol é caro, a Lua é tua. E então? A Cornélia virou animal de estimação, o menino guloso come o bolo-rei só de uma vez. Tudo “pela ponta do nariz” da filha do juiz. Um espetáculo que junta a bicharada, lengalengas ao desafio e poemas gulosos para encher a barriga. Para famílias, em família. Uma festa em que as palavras se juntam todas à mesa.

 

Ficha artística

Criação e interpretação: Dulce Moreira e Mariana Santos – O Som do Algodão
Figurinos: Cláudia Ribeiro
Produção: Marulhada, Associação Cultural

Público M/4
Duração 
45′

Horário  17h

Entrada livre. 

Herbário [um manifesto poético e musical]

A partir do livro “Presos”, de Oliver Jeffers, e do “Herbário”, de Jorge Sousa Braga, este é um manifesto poético da Natureza. Uma encruzilhada de histórias e poemas à solta na floresta. Uma performance que nos convida a regressar à terra, às origens, a buscar o sentido nas pequenas coisas.
E tu, vens de mão dada connosco?

 

Ficha artística

Criação e interpretação: Dulce Moreira e Mariana Santos – O Som do Algodão
Figurinos: Cláudia Ribeiro
Produção: Marulhada, Associação Cultural

Público M/3
Duração 
40′

Horário  10h30 e 15h00

Mais informações e inscrições: 258 809 362 ou cmiaapoio@cm-viana-castelo.pt

Trilogia Aves . Ovo

O início. A viagem que se tece em volta da curiosidade, do que está por vir. Objetos, sons e significados. Um conto para contar, onde a rima e o ritmo despertam os participantes, num jogo que pede a interação de todos na descoberta deste “ovo” que se transforma.

 

Ficha artística

Criação e interpretação: Dulce Moreira e Mariana Santos – O Som do Algodão
Objetos cénicos: Lília Catarina
Produção: Marulhada, Associação Cultural

Público Bebés e famílias
Duração 
40′

Horário  11h30

Mais informações: biblioteca@cm-olhao.pt e 289 700 130

Cabaz de Histórias do Arco da Velha

São enredos das criaturas que habitam o imaginário da noite. São manos papões, feiticeiras e feitiços, medos e tantas surpresas. São histórias resgatadas do repertório tradicional e personagens que nos fazem recuar ao tempo dos nossos avós e das lendas contadas à volta da lareira.

 

 

Ficha artística

Criação e interpretação: Dulce Moreira e Mariana Santos – O Som do Algodão
Figurinos: Cláudia Ribeiro
Produção: Marulhada, Associação Cultural

Público M/3
Duração 
40′

Horário  16h

Entrada livre.